A HERANÇA ILÍQUIDA E INDIVISA – A SUCESSÃO

A HERANÇA ILÍQUIDA E INDIVISA – A SUCESSÃO.

A cabeça de casal (COELHO) da herança do falecido marido (SÓCRATES) reuniu com os seus filhos (O POVO) e disse:- Meus filhos, o vosso pai (SÓCRATES) deixou-nos na miséria, pois temos uma dívida que, por cada 100 € do que produzimos (PIB) só SOBRAM 2 €, sendo que os restantes 98 € são para pagar a dita cuja (DÍVIDA). Por isso meus filhos (POVO) tenho que vos pedir a vossa ajuda e para já, pois caso contrário é a nossa ruína total.

….E qual é a ajuda que tu queres nossa mãe querida(COELHO), perguntou o filho ZÉ (Zé POVO)……Ao que a mãe (COELHO) respondeu:-Quero os vossos subsídios de férias e de natal, para além de outras receitas (TAXAS) que vocês meus filhos (POVO) acharem melhor.

…..Está bem, diz o João. Está bem, diz o Manuel…..Enfim, todos de ACORDO.

Passados que foram dois anos, o filho Zé (ZÉ POVO) disse aos seus irmãos que precisava de fazer uma reunião com todos e falar com a mãe (COELHO), pois ele já estava a ficar também endividado, pedindo dinheiro a particulares.  E assim foi….A reunião fez-se com a presença de todos e da cabeça de casal (COELHO).

A certa altura, diz o Pedro para a mãe (COELHO):- Oh mãe, como é que estão as coisas? Ao que a mãe (COELHO) respondeu:- PIOR, meus filhos, muito PIOR. Se na altura da morte do vosso pai (SÓCRATES) os 100 € davam para pagar 98€ de dívida e ainda SOBRAVAM 2 €, agora, os mesmos 100€ do nosso produto (PIB) já não chegam e ainda tenho que pedir a uns amigos (TROIKA) mais 22€, pois a nossa dívida aumentou para 122€ do que produzimos.

…..Mas isso é verdade, mãe?- questionou o outro filho João?…..É sim meu querido filho.

Então, mãe (COELHO), desculpa, mas se eu tivesse possibilidade de escolher, preferia que tivesses sido tu (COELHO) a primeira pessoa a morrer……pois o nosso pai (SÓCRATES) quando herdou dos nossos avós (Cavacos e cavaquinhos, etc e tal) também herdou dívidas que eles lhe deixaram…..Por isso, minha mãe (COELHO) eu te digo isto e vou ter que EMIGRAR.

 

Anúncios

António Borges considera ignorantes empresários que rejeitaram alteração da TSU

http://www.rtp.pt/noticias/index.php?article=591164&tm=9&layout=121&visual=49

Euromilhões com "jackpot" de 100 milhões de euros na sexta-feira

http://noticias.pt.msn.com/euromilh%c3%b5es-com-jackpot-de-100-milh%c3%b5es-de-euros-na-sexta-feira-1

Contribuição dos trabalhadores para Segurança Social passa para 18 por cento

http://noticias.pt.msn.com/economia/contribui%c3%a7%c3%a3o-dos-trabalhadores-para-seguran%c3%a7a-social-passa-para-18-por-cento-2

Boss AC – Sexta-feira (Emprego Bom Já) – Exclusive – YouTube

EMPREGO BOM JÁ

Mensagens de Natal e Ano Novo 2012

Mensagens de Natal e Ano Novo 2012.

Estamos a espatifar a infância das crianças – Entrevista de Eduardo Sá « Maus Tratos na Infância

 

Eduardo Sá, psicólogo clínico, psicanalista, professor de Psicologia clínica na Universidade de Coimbra e no Instituto Superior de Psicologia Aplicada em Lisboa e Diretor da Clínica bebés & crescidos deu, em meados de Março, uma entrevista ao jornal “Diário as beiras”, onde explana sobre vários temas. Sendo os temas abordados (ainda) bastante atuais destaco aqui alguns:

Sá fala da negligência que o Estado incorre no que concerne a infância, nomeadamente na falta de (melhores) políticas sociais, de investimento nos recreios das escolas que, segundo ele “ (…) são uma vergonha. Não reúnem condições indispensáveis para brincar” e também ao nível da salubridade das escolas, especificamente, das suas casas de banho.

Fala também das crianças em risco e como também nesta área, se denota uma gravosa negligência por parte do Estado, em particular nas Comissões de Proteção a Crianças e Jovens, onde os técnicos são colocados em regime de part-time.

Nesta entrevista, o psicólogo fala ainda da desnecessidade de educação sexual nas escolas. Defende que, ao invés, deve existir uma “educação para o amor”, uma “educação para as emoções”.

Estamos a espatifar a infância das crianças – Entrevista de Eduardo Sá « Maus Tratos na Infância